quarta-feira, 10 de agosto de 2011

PF e IBAMA desarticula quadrilha que vendia animais silvestres

Uma quadrilha que vendia animais silvestres ilegalmente pela internet tinham ramificações na Paraíba. Nesta quarta-feira (10), uma operação da Polícia Federal em parceria com o Ibama desarticulou a ação criminosa, que atuava com criadouros dos bichos, além de na Paraíba, em mais seis estados: Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Minas Gerais, Bahia e Ceará. Um casal, acusado de chefiar a quadrilha, foi preso no Paraná.
Cerca de 250 policiais federais e fiscais do Ibama estão atuando na Operação Arapongas. Eles têm seis mandados de prisão e 25 de busca e apreensão para cumprir na Paraíba e nos outros seis estados. O casal acusado de ser responsável pelo site que negociava os animais foi preso em Arapongas, Norte do Paraná. Até as 10h, ainda não havia informações sobre o cumprimento de outros mandados de prisão.
O delegado Elvis Secco, da PF do Paraná, explicou que o casal é suspeito de comandar, durante ao menos três anos, um site onde os animais eram comercializados. Na página, animais silvestres da fauna brasileira e de vários países, inclusive ameaçados de extinção, eram negociados, havendo até promoções.
A sede da quadrilha funcionava no Paraná, onde foram encontrados 30 bichos. Nos outros estados funcionavam criadouros dos animais que eram comercializados pela internet. Quando a compra era feita, os animais eram enviados para o Paraná, de onde eram encaminhados para o comprador.
Segundo a investigação, os animais vendidos ilegalmente eram, na maioria, silvestres, alguns em extinção, e nenhum deles possuía registro no Ibama, ao contrário do que informava o site.
Secco disse ainda que a maioria dos fornecedores tinham alguma ligação com clínicas e entidades protetoras de animais. Os presos vão responder por falsidade ideológica, formação de quadrilha, crime contra a fauna, estelionato e sonegação de impostos. A investigação durou um ano, segundo a Polícia Federal.

Com informações do paraiba1

Nenhum comentário:

Postar um comentário