quinta-feira, 3 de março de 2011

PC da PB desiste da greve, e PM's são acusados de vandalismo.

Os 280 delegados da Polícia Civil, que entrariam em greve nesta sexta-feira (04), descidiram suspender o movimento. Segundo o presidente Cláudio Lameirão, da Associação de Defesa das Prerrogativas dos Delegados de Polícia da Paraíba (Adepdel-PB), com a interrupção a categoria tem mais chances de uma audiência com o governador Ricardo Coutinho (PSB).
“Durante a manhã, a diretoria da Adepdel estudou o caso e entendeu que se suspendesse a greve teria mais oportunidade para um encontro com o governador”. De acordo o delegado, os representantes do Governo afirmaram que caso a categoria interrompesse o movimento, teria uma reunião com Ricardo Coutinho no fim de março.
Uma outra questão também contribuiu para a suspensão da greve. “O efetivo já é pequeno, e durante o Carnaval as cidades do interior ficariam prejudicadas”, disse Cláudio Lameirão. Segundo ele, uma paralisação durante o período carnavalesco teria graves consequências para a socidedade. No período da tarde, está prevista a realização de uma assembleia com a categoria.
Os atos de vandalismo de policiais militares durante a greve que durou quatro dias foram flagrados pela imprensa, principalmente em João Pessoa, desde o início do movimento na última segunda-feira (28). Porém, um caso ocorrido na noite da última terça-feira (1) não havia se tornado público até hoje.
Policiais supostamente ligados ao movimento invadiram a 9ª Delegacia Distrital de Mangabeira, renderam os funcionários e esvaziaram os pneus de uma viatura da Polícia Civil, impedindo que a equipe plantonista saísse para trabalhar caso fosse chamada para alguma ocorrência.
Os cinco manifestantes estavam fardados como militares e encapuzados, o que impediu a identificação. Procurado para comentar o assunto, o delegado Giovanni Giacomelli, titular da 9ª DD, disse que não poderia comentar o assunto por determinação da Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP).
“Não posso negar que houve, mas qualquer declaração só pode ser feita pelo secretário”, comentou o delegado.

A assessoria de imprensa da SSP confirmou todas as informações e comunicou que um relatório sobre o ocorrido  já foi passado para a delegada Daniella Vicuuna, gerente executiva da Polícia Civil na região metropolitana da Capital. Ela instaurou um inquérito administrativo para apurar o caso. As viaturas também já foram periciadas.

Com informações do paraiba1

Nenhum comentário:

Postar um comentário