sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Ações contra o crime no RJ e em outros estados, não sensibiliza aprovação da PEC 300

Depois do sucesso das operações no Rio de Janeiro contra o crime organizado, e diversas manifestações de apoio por parte de todas as polícias no país, o líder do governo irá fazer de tudo para não colocar a PEC 300, em pauta de votação nesse ano.
Segundo o deputado federal Cândido Vaccarezza (PT-SP), o governo não vai votar projetos que comprometam o próximo ano dos governos federal e estaduais. Ele citou como exemplos a PEC 300, que cria um piso salarial para os policiais, e o plano de carreira do Judiciário.
A manobra de adiamento – articulada pelo governo, para atender ao pedido de governadores, que temem o forte aumento de gastos nos estados.
Quase seis meses depois da votação da PEC 300/2008 em primeiro turno no plenário da Casa, o líder da base propôs a criação de uma comissão especial de segurança pública. A intenção é debater nessa comissão diversos projetos na área de segurança e incluir entre as matérias as propostas de emenda à Constituição que estabelecem o piso salarial de policiais civis e militares e bombeiros militares. A criação da comissão foi apresentada a representantes da categoria na noite de quarta-feira (1), durante a votação do pré-sal no plenário.
Em resposta, representantes da categoria sinalizam paralisação geral da polícia no dia 1º de janeiro, dia da posse da presidente eleita, Dilma Rousseff.

Charles Everton com algumas informações da agência câmara.

Nenhum comentário:

Postar um comentário